segunda-feira, 11 de julho de 2016

Mas se o homem é mal, porque existem pessoas que fazem coisas boas?


Mas se o homem é mal, porque existem pessoas que fazem coisas boas?
Porque Deus é bom. E sendo Deus bom, infinito em misericórdia, existe uma pré disposição voluntária do coração de Deus chamada “GRAÇA DE DEUS”, que está derramada sobre toda a criação, e é a graça de Deus que faz com que sejamos bons.
O homem em seu estado naturalmente mal, não consegue fazer o bem, porque não pode optar pelo bem, não enxerga o bem. Mas a GRAÇA de Deus derramada sobre toda a criação, inclusive sobre o homem naturalmente mal, e a GRAÇA faz com que o homem consiga ver a possibilidade e o sentido de fazer o bem, consegue ver alguma razão em fazer o bem. É por isso que existem pessoas que fazem coisas boas, na verdade elas não são boas, são pecadoras, condenadas como todas as outras, mas a GRAÇA de Deus está sobre ela então, consegue fazer algo útil.

Por isso é que se consegue ver alguém que sempre foi bom, mas num momento de fúria, mata a outra pessoa. Daí surge a pergunta, mas a pessoa não era boa? Não, nunca foi. Sempre foi pecador. Só mata quem é assassino,  mesmo que não tenha matado ninguém, a possibilidade de matar alguém é eminente a qualquer pessoa. Se não fisicamente, mata emocionalmente, falando-se mal de outra pessoa. Então somente aos assassinos é possível matar, então, somos todos assassinos, não porque puxamos o gatilho, mas porque já desejamos a morte de alguém ou falamos mal de outrem. Somente aos mentirosos é possível mentir, somos mentirosos, ainda que com boa intenção, mentir para nós não é impossível, é bem possível e real, a possibilidade, temos esta capacidade e não nos atormentamos por isso. É claro somos pecadores, a raiz do mal está em nós, o mal para nós é algo natural, mais que isso nos identificamos com ele, vibramos quando alguém conta alguma peripécia de ousadia, pagando a outrem com mal. Somos curiosos para ver o resultado da maldade nas ruas, num corpo caído no chão, num acidente, algo nos impele a ter intimidade com aquilo. Somente aos mentirosos é possível mentir. Se você consegue mentir, ...

quarta-feira, 6 de julho de 2016

O “cabeça” da igreja!

A igreja não é a denominação, a igreja é a comunidade dos irmãos, e cada irmão em sua individualidade. A visão da igreja não pode seguir a costumes e tendências humanas, ela deve ser a mesma visão de Cristo, afinal Ele é o “cabeça” da igreja, se tiver outra visão, tem outro cabeça que não Ele.

terça-feira, 5 de julho de 2016

Quem detém o poder é “o forte”!


O que acontece então é que a sociedade forma seus conceitos manipulados por interesses de
quem detém o poder “o forte”. O senso comum assiste a filmes, novelas e jornais que são criados por empresas de quem detém o poder, ou seja, pelos fortes, e claro vão promover o pensamento e o comportamento que interessa para o crescimento e a manutenção de seus negócios de poder, para se perpetuarem e aumentarem o seu poder. E não é só no mercado financeiro que encontramos “o forte”, na política também, apesar de vivermos num sistema democrático, onde se pressupõe que o povo ou qualquer pessoa tenha acesso ao poder, o indivíduo que é povo, ou seja, que é cidadão consumidor, ao assumir o poder, automaticamente deixa de ser povo, ou seja, “o fraco” para se tornar imediatamente “o forte”.
Então, nunca seremos governados por pessoas que realmente representem o povo, porque enquanto são fracos, não tem o poder de ação, e quando entram no poder,  se tornam fortes e mudam completamente a postura e seus ideais, trabalhando em prol apenas de sua perpetuação no poder e de seus aliados.

Logo temos que “os fortes” por sua vez não podem dar subsídios e elementos para que o povo se fortaleça, ou seja, ferramentas de conhecimento e educação, porque senão estarão trabalhando em prol do seu próprio fracasso. É por isso que todo o tipo de comunicação com a massa é sempre tendenciosa, ou seja, de um jeito e não do outro. Por exemplo, na vitrine da TV tudo está à venda, desfilando de modo glamoroso para despertar o desejo do povo, nunca pelo conhecimento, mas sempre pelo consumo. Não vemos campanhas de conscientização do tipo: Estude para ser alguém,  evite a gravidez na adolescência, não fume não se corrompa, valorize sua família, etc. Veja o que diz Paulo Freire (2014)

sábado, 2 de julho de 2016

Quando o homem peca

Quando o homem peca, ele comete um crime. Teria que satisfazer a justiça de Deus pagando pelo crime que cometeu. Mas ele não tem condições de pagar pelo seu crime porque no momento em que ele peca, a santidade de Deus o lança para fora de Deus, haja visto que tudo o que existe, existe em Deus (Atos 17:28). Então ele é lançado para fora de Deus (Rom. 3:12), e tecnicamente entrou em estado de não existência. Por isso não pode pagar pelo seu crime, porque deixou de existir. Mas você está aí lendo este texto, então você existe, logo, alguém cumpriu a SUA pena, para que você pudesse existir e se arrepender do seu pecado e ser grato a Deus por elaborar um plano para que pudéssemos ser seus amigos. Simples assim.

Vós sois a luz do mundo

Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.
Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;
Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.
Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.
Mateus 5:13-16
Aqui começa uma questão muito importante da qual, Jesus deixa claro uma responsabilidade que temos que assumir diante Dele, em outras palavras a aceitação da sua proposta implica num arrependimento e consequentemente uma mudança de postura pela fé, aqui é proposto qual a postura do crente. Você é sal, em outras palavras você é o  elemento que traz a diferença para o todo, não existe meio sal,  e não existe uma sugestão da parte de Cristo do tipo, que tal ser sal da terra? Não é isso. Existe um imperativo, vós sois! Na continuação não basta ser o elemento que faz a diferença no todo, ele explica melhor qual é a postura que devemos ter. Vós sois a luz do mundo, em outras palavras, a diferença que você faz tem que estar em lugar de destaque. E ele explica melhor ainda - resplandeça a vossa luz – em outras palavras você tem que ter uma luz - diante dos homens – é para a sua a sua luz brilhar diante dos homens, quem são estes homens? Estes homens são pessoas do mundo, note que Ele não disse  - resplandeça a vossa luz diante da igreja, nem diante dos irmãos, nem diante dos apóstolos, mas determina uma classe genérica de pessoas que comporta um todo, os homens.

Então você tem que ter uma luz, e esta luz quem que resplandecer, ou seja brilhar, ser notada, perante os homens, não é uma sugestão novamente é uma imperativo, é uma ordem. Para que? Para que vejam as vossas boas obras – aqui Jesus deixa claro o que ele quer dizer com “resplandeça a vossa luz”, ele quer dizer que você terá um tipo de comportamento, uma postura que tem que estar em lugar de destaque e que resulte em obras e obras boas, essa é a luz.  E glorifiquem o vosso Pai que está no céus – aqui Jesus deixa claro qual será a reação dos homens ao verem o resultado da sua postura, e o resultado é uma obra “boa”, tal qual, fará com que o “homem” que a vê, não se contenha em si mesmo ao ver esta obra boa, e vai entender que este tipo de obra só pode ser feito por Deus, ou por alguém que realmente é nascido de Deus, então o homem verá a ação clara de Deus no resultado da sua postura, e não se contendo em si mesmo de tanta alegria de ver a ação de Deus, este homem glorifica a Deus. Aqui é um momento em que Jesus diz que alguém vai glorificar a Deus, e este alguém não são os cristãos, são os homens do mundo, logo a conclusão é: Deus quer ouvir seu nome ser glorificado, mas, não pelos cristãos, mas pelos ímpios, porque os cristãos não precisam dar glória a Deus, precisam ser a manifestação da glória de Deus.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

“EU SOU”

E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.
Êxodo 3:13,14

Deus nesta passagem se auto denomina o “EU SOU” ou seja aquele que “É”, e sempre foi, imutável, nunca foi gerado porque é eterno, então tem legitimidade para dizer que “É”, e quanto ao homem? O homem não “é”, por quê? Porque a cada segundo que se passa o homem sofre mutações em seu “ser”, células morrem, cabelos caem, está em constante mudança física e intelectual, então o homem é um “deixar de ser”, então ele é aquilo que não “é”.